TOUCHDOWN ENTREVISTA UM DOS DESTAQUES DA RODADA: Wesley Mota, QB do Juventude Gladiators - 31.10.2013

0
10347_169412913231031_1084466141_n
(TOUCHDOWN) A equipe do Gladiators mostrou muita superação em seus jogos. O que podemos esperar da equipe para o ano que vem?   Podemos esperar uma equipe mais madura, mais experiente. Nós sabíamos das dificuldades que encontraríamos neste nosso primeiro ano de TTD e aprendemos muito com isso. Cada jogo foi importante para o amadurecimento do time, tanto dentro como fora de campo. E já estamos trabalhando para fazer uma campanha ainda melhor em 2014.   (TOUCHDOWN) Como você analisa o último jogo do time na temporada regular? O que você presenciou e sentiu dentro desse histórico jogo para a equipe?   Foi um jogo de superação, pois não havíamos feito uma boa partida contra o T-Rex e havia a pressão de jogar em casa e conquistar uma vitória diante da nossa torcida. Foi um jogo duro, equilibrado, mas o time soube se portar em campo e botar em prática, especialmente no segundo tempo, tudo aquilo que treinamos durante o ano. Foi a nossa primeira vitória em casa, e por esse motivo foi um jogo mais do que especial.   (TOUCHDOWN) Quem você acha que pode ser o campeão do Torneio Touchdown? Depois de uma temporada regular emocionante, você acredita no favoritismo de alguém?   Tenho certeza de que teremos excelentes jogos nos playoffs. Jaraguá e Flamengo são os favoritos, em minha opinião, mas acredito que outros times podem chegar na briga. E não me surpreenderia se o Rex conseguisse uma vaga no mata-mata e fosse longe na competição.   (TOUCHDOWN) Como você começou a praticar a modalidade? Você possui algum ídolo ou mentor no esporte?   Eu conheci o futebol americano há 5 anos, e desde então, passei a pesquisar sobre os times no Brasil. Quando eu tinha 15 anos, comecei a jogar apenas por brincadeira com alguns amigos. Em 2013, recebi um recado do nosso atual Head Coach, Gustavo Rech, me chamando para participar dos treinos do Caxias Gladiators, pois já havia jogado com ele em um time que formamos antes dos Glads. E eu diria que o meu ídolo é o QB do New Orleans Saints, Drew Brees, pois ele é um exemplo de superação no esporte. Além disso, admiro muito o seu estilo de jogo e o colocaria no Top 3 dos QBs da NFL.   (TOUCHDOWN) A parceria com a equipe do Juventude ajudou de que forma na evolução do Gladiators dentro e fora de campo?   Com certeza. A estrutura que o Juventude nos forneceu foi de extrema importância, pois foi possível que realizássemos mais treinos durante a semana, sendo mais específicos e focados nos planos de jogo. A torcida do Juventude também nos apoiou desde o início e teve grande participação nos nossos jogos em casa. Foi uma parceria que veio na hora certa e foi essencial para a nossa evolução no torneio.   (TOUCHDOWN) Com vários bons jogadores no Rio Grande do Sul, em quanto tempo teremos uma equipe do estado como campeã do Torneio Touchdown?   Acredito que nos próximos anos já teremos equipes brigando por vagas nos playoffs. O RS, comparado aos outros estados, tem poucas equipes e a grande maioria delas é relativamente nova. Mas a evolução é nítida e temos certeza de que o futebol americano gaúcho chegará a níveis mais altos e irá surpreender em pouco tempo.   (TOUCHDOWN) Pode deixar um recado para os fãs do Torneio Touchdown e do Juventude Gladiators?   Eu gostaria de agradecer o apoio do Juventude e da nossa torcida, que nos ajudou no nosso primeiro ano de TTD. Os Gladiators encerraram a sua participação na edição de 2013, mas continuaremos a trabalhar e melhorar nosso jogo. 2014 promete ser um grande ano para a nossa equipe. E, no geral, continuem apoiando o futebol americano no Brasil. É gratificante ver a evolução do esporte no nosso país e tenho certeza que ainda teremos grandes jogos nesses playoffs. Imagens:
Postar um novo comentário